sábado, 11 de dezembro de 2010

A agonia de se vestir bem

Namorar tem desses sacrifícios...

Devido à formatura do meu concunhado esta noite, durante as duas últimas semanas eu conheci a luta do Mangaká brasileiro para vestir um terno decentemente!

Primeiro fui atrás do terno. Felizmente o Erik, amigo do Shin, tem as roupas próximas das minhas medidas e se veste melhor que eu. Fomos até sua casa nova. Pronto! Aproveitamos para pedir umas pizzas. Ehehe.

Sofri tentando dar um nó Windsor na gravata preta, não um Semi-Windsor ou qualquer outro mais fácil. Peguei até um tutorial. Complicado como um cubo mágico, isso me roubou uns 40 minutos mas quero ser parte da minoria masculina que SABE dar nó numa gravata.

Eu tinha o terno, a camisa, as meias e a gravata de graça. Só não tinha os sapatos.
Pés de palhaço, tamanho 41/42. Depois de insistir bastante, Shin me emprestou dois e Luiz me trouxe o dele, lá de São Bernardo: o primeiro era largo e chato, feito um pão sovado. O segundo era bicudo e alto como um sapato pra dançar catira. E minha terceira opção não serviu...

Em minha mente eu queria mesmo era vestir tênis, aliás, desde o casamento do meu amigo no Rio ano retrasado (vide desenho na lateral do blog). Puxa vida, eu faria um sacrifício com o All Star preto, mesmo sabendo que o vermelho fica ainda mais legal com o traje...

Mas regras de etiqueta não me permitiram mais uma vez, então, não havendo outra saída, eu estava decidido a comprar sapatos. Seria a solução do único problema - até que eu decidi passar a camisa do Erik...

100% poliester! Abri um buraco no peito só de encostar o ferro quente.
A volta do buraco (ui) endureceu feito um pedaço de plástico... opa!, poliéster É UM TIPO DE PLÁSTICO, besta!

Bom, o final dessa história só vou saber hoje mesmo... chuif.

2 comentários:

Yasmin Ayumi disse...

Awnn q fofinho XD
No final voce ficou super bem, eu com aquele salto 8 estava sofrendo, qria eu ter usado all star e vestido XD
=**

o..o andre santos disse...

:) Fiquei parecendo segurança de shopping de bairro mas foi como encarnar um personagem aquela noite.
Você sim estava ótima. Nem precisou dos band-aids!